A diferença entre viver e tentar a vida em Portugal

Mudar para POrtugal

Eu nunca morei fora do Brasil, até oito  meses atrás, quando vim morar em Portugal. Sempre quis viver essa experiência, mas nunca tive condições financeiras de fazer isso com o mínimo de segurança. Então não fiz. Porque, pra mim, não tem essa de “tentar a vida”. Eu quero é viver! Aos 41 anos, já com dois filhos e uma vida um pouco mais estabilizada (ainda bem menos do que eu gostaria, mas é o que tem pra hoje! rs), cá estamos. E, apesar de eu achar toda essa mudança uma verdadeira aventura, ela não tem absolutamente nada de aventureira. Sabe […]

Continue Reading

Mulheres se redescobrindo em Portugal

Juntas, trabalhando e nos relacionando em rede, nós mulheres só temos a ganhar. Agora, em Portugal, já temos um ponto de encontro, onde podemos trocar ideias, sentimentos e conhecimento  Quando mudamos de país, nascemos de novo. Ganhamos novos documentos e números, que passam a ser nossa nova identidade. Alteramos o endereço, a escola dos filhos e, quem sabe, até o marido. Aprendemos novos idiomas, palavras, regras de comportamento. Escolhemos médicos, compramos carro novo, decoramos apartamento. Muitas começam em um novo emprego. Ou deixam o que tinham pra trás. Tem gente que recomeça do zero, na cara e na coragem. O […]

Continue Reading

Meu primeiro aniversário em Portugal

Quando saí do Brasil, fiquei imaginando como seria triste quando outubro chegasse e, com ele, meu aniversário. Nasci no dia do aniversário da minha mãe e, como boa libriana, sou festeira que só! Como seria comemorar só entre nós quatro? Mas, eu não contava com a minha astúcia! Hoje, 15 de outubro, completo 42 anos. E ontem inaugurei a temporada de festas na Mansão Aisenberg, com direito a muito espumante português, coxinha, bolinha de queijo, croquete, brigadeiro e beijinho! Em Portugal, a gente não tem festa de aniversário: tem festa de anos! Mas, essa é realmente a única diferença. Encomendei […]

Continue Reading

Já nem sei se eu ainda sei blogar

Mulher louca

Esses dias estive pensando e confesso que estou em crise de identidade. 🙂 Há (alguns, não muitos!) anos, quando o blog ainda era uma novidade e ainda se chamada weblog, eu decidi começar a escrever naquele negócio esquisito. Era realmente algo esquizôfrênico escrever sobre a minha vida e publicar na Internet. O equivalente a falar sozinho na época analógica. Mas, como não estava fazendo nada e escrevo até em rolo de papel higiênico se não tiver mais nada à mão, segui em frente. E foi uma viagem! Falava sobre um tratamento de FIV que fiz para engravidar pro Rafinha, depois […]

Continue Reading